Esposa de Tiago Leifert cria canal no youtube para ajudar pessoas com transtorno

Daiana Garbin Eu Vejo

O primeiro grande passo para resolver um problema é reconhecer que ele existe e quais suas extensões, para então procurar formas de resolver. Jornalista e esposa do apresentador da Rede Globo Tiago Leifert, Daiana Garbin resolveu contar, por meio de um canal do Youtube, tudo o que já fez para ser “magra, seca, igual aquelas modelos palitinho”. Seu objetivo é ajudar a pessoas que passam por problemas parecidos.

O Canal “Eu Vejo” já é um enorme sucesso na rede – mais de 180 mil visualizações em poucos dias -, gerando centenas de comentários, principalmente de pessoas com problemas parecidos. “Estou fazendo acompanhamento com psicológica para ajudar aceitar meu corpo, me sinto muito pra baixo, também não tenho vontade de melhorar, pois me falta auto estima que possa me estimular a melhorar. Sei bem o que você está descrevendo, sinto o mesmo”, comentou uma visitante.

“Estava com começo de distúrbio alimentar, eu estava começando a me ver gorda, obesa, horrível. E comecei a parar de almoçar, parar de merendar pela manhã e me sentia péssima. Mas procurei um tratamento e melhorei graças a Deus”, diz outra mulher em comentário relacionado ao primeiro vídeo da jornalista.

Daiana Garbin revela que sofre de dismorfia corporal, que faz a pessoa crer que está com peso diferente do que é na realidade. “Eu me olho no espelho todos os dias e me sinto gorda. Queria ser magra, já fiz as maiores loucuras que vocês podem imaginar para emagrecer porque eu queria ser magra, seca, igual aquelas modelos palitinho, porque eu acho lindo, porque alguém enfiou isso na nossa cabeça”, diz em uma passagem do vídeo.

Em seu canal, além de seus depoimentos, ela irá entrevistar especialistas para falar sobre o assunto e esclarecer a todos que acessam seu canal.

O Canal de Daiana Garbinconfira aqui – pode ser um importante aliado para que pessoas com o mesmo problema ou transtornos ligados ao peso (bulimia, anorexia, compulsão alimentar) entendam a questão e busquem ajuda profissional.

Ao longo do tempo a Clínica Terapêutica têm se especializado no tratamento de diferentes patologias ligadas à saúde emocional, inclusive transtornos alimentares (veja em especialidades), com grandes resultados.

Anorexia e bulimia: como ajudar quem nega que está doente

Anorexia e Bulimia: como ajudar?

Sabe aquela pessoa que, ao olhar-se no espelho ou pesar-se, encontra quilos de gordura, afirma que precisa emagrecer mais e faz de tudo para tal, mesmo que todos vejam e falem que ela está magra? Pode ser que ela tenha algum tipo de distúrbio alimentar. Mas, como é muito comum que neguem que estejam doentes, preparamos este texto para que você aprender formas de ajudar quem nega que esteja sofrendo com anorexia ou bulimia.

Saiba mais

Transtornos alimentares: 6 dicas para os pais protegerem os filhos

Por vezes, os transtornos alimentares chegam silenciosamente, maquiados como hábitos de uma vida saudável. Mas não é bem assim. E embora o sexo feminino jovem continue sendo o mais afetado, está crescendo o número de rapazes que também sofrem de transtornos alimentares. Separamos 6 dicas para os pais protegerem os filhos:

1)      Fique de olho

Fique de olho no que seu filho ou filha anda seguindo, curtindo ou compartilhando nas redes sociais. Grande quantidade de perfis, grupos ou páginas relacionados a emagrecimento ou pró-Ana/pró-Mia pode ser um forte indício de que seu filho usa a internet como apoio para o transtorno alimentar.

Saiba mais

Anorexia e bulimia: adolescentes insatisfeitas com o próprio corpo são mais suscetíveis

Anorexia e Bulimia

Olhar no espelho e não gostar do que vê. É assim com três em cada dez adolescentes, segundo uma pesquisa realizada com pessoas entre 10 e 19 anos em 20 escolas estaduais de Recife (PE). Apesar de estarem no peso ideal, muitos desejam ser magros. Esse olhar distorcido sobre o corpo pode levar o adolescente a manifestar anorexia e bulimia.

Pessoas que sofrem de anorexia possuem um medo intenso de engordar e, mesmo que apresentem peso normal ou até abaixo do ideal para a altura, fazem de tudo para emagrecer, colocando a saúde e a própria vida em risco. Já a bulimia faz com que uma pessoa exagere na hora de se alimentar e, ao perceber a falta de controle, resolve usar algum método para se sentir menos culpada, como vômitos, uso de laxantes ou exercícios em excesso.

Saiba mais

5 conselhos para os pais prevenirem os transtornos alimentares desde a infância

5 dicas para os pais prevenirem transtornos alimentares na infância

Os transtornos alimentares estão cada vez mais comuns entre adolescentes e jovens mulheres. Além de ser importante a informação e detecção precoce, é necessário que os pais estejam atentos desde a infância para influenciar positivamente a forma como os filhos veem a comida e o próprio corpo. Veja 5 conselhos para os pais prevenirem os transtornos alimentares desde a infância:

1)      Horários

É preciso ensinar desde cedo a importância de hábitos saudáveis às crianças, dizem especialistas do Hospital Infantil de Sant Joan de Déu, de Barcelona. Isso inclui horários regulares para comer, fazer refeições moderadas quatro ou cinco vezes ao dia, evitar pular as refeições e não comer “besteiras” nos intervalos entre elas.

Segundo a psicóloga argentina Brigitte Aquin, especialista em transtornos alimentares, é recomendável que os pais sejam capazes de controlar ao menos duas refeições diárias de seus filhos. Saiba mais

Anorexia e bulimia em homens ainda é tabu

Anorexia e Bulimia em Homens

Anorexia, bulimia e outros transtornos alimentares são vistos como ‘problemas femininos’. Essa forte associação cultural faz com que muitos homens não percebam ou sequer sejam diagnosticados com algum transtorno alimentar.

Pesquisas demonstram que aumentou o número de homens que sofrem de transtornos alimentares. E esses dados podem crescer nos próximos anos, especialmente entre adolescentes, pois a pressão para ter um ‘corpo perfeito’ é presente na sociedade e afeta tanto os homens quanto as mulheres.

Saiba mais

Termos de Uso e Política de Privacidade - Grupo Viva | Clínica Terapêutica Viva © - Todos os direitos reservados