Esposa de Tiago Leifert cria canal no youtube para ajudar pessoas com transtorno

Daiana Garbin Eu Vejo

O primeiro grande passo para resolver um problema é reconhecer que ele existe e quais suas extensões, para então procurar formas de resolver. Jornalista e esposa do apresentador da Rede Globo Tiago Leifert, Daiana Garbin resolveu contar, por meio de um canal do Youtube, tudo o que já fez para ser “magra, seca, igual aquelas modelos palitinho”. Seu objetivo é ajudar a pessoas que passam por problemas parecidos.

O Canal “Eu Vejo” já é um enorme sucesso na rede – mais de 180 mil visualizações em poucos dias -, gerando centenas de comentários, principalmente de pessoas com problemas parecidos. “Estou fazendo acompanhamento com psicológica para ajudar aceitar meu corpo, me sinto muito pra baixo, também não tenho vontade de melhorar, pois me falta auto estima que possa me estimular a melhorar. Sei bem o que você está descrevendo, sinto o mesmo”, comentou uma visitante.

“Estava com começo de distúrbio alimentar, eu estava começando a me ver gorda, obesa, horrível. E comecei a parar de almoçar, parar de merendar pela manhã e me sentia péssima. Mas procurei um tratamento e melhorei graças a Deus”, diz outra mulher em comentário relacionado ao primeiro vídeo da jornalista.

Daiana Garbin revela que sofre de dismorfia corporal, que faz a pessoa crer que está com peso diferente do que é na realidade. “Eu me olho no espelho todos os dias e me sinto gorda. Queria ser magra, já fiz as maiores loucuras que vocês podem imaginar para emagrecer porque eu queria ser magra, seca, igual aquelas modelos palitinho, porque eu acho lindo, porque alguém enfiou isso na nossa cabeça”, diz em uma passagem do vídeo.

Em seu canal, além de seus depoimentos, ela irá entrevistar especialistas para falar sobre o assunto e esclarecer a todos que acessam seu canal.

O Canal de Daiana Garbinconfira aqui – pode ser um importante aliado para que pessoas com o mesmo problema ou transtornos ligados ao peso (bulimia, anorexia, compulsão alimentar) entendam a questão e busquem ajuda profissional.

Ao longo do tempo a Clínica Terapêutica têm se especializado no tratamento de diferentes patologias ligadas à saúde emocional, inclusive transtornos alimentares (veja em especialidades), com grandes resultados.

Compulsão alimentar e a carência afetiva

Compulsão Alimentar e Carência Afeitiva

O que muita gente faz quando se sente sozinho? Se afunda na comida. Devora qualquer coisa hipercalórica compulsivamente. É aquela velha história de preparar uma panela de brigadeiro ou pedir uma pizza e comer sozinho após uma decepção ou carência. É como se a comida pudesse preencher um vazio interior e que, após comer exageradamente, alguém poderia ficar livre dos pensamentos ou sentimentos.

A compulsão alimentar e a carência afetiva podem estar intimamente ligadas desde a infância. Um adulto compulsivo hoje pode ter sido, no passado, uma criança que teve pouco carinho. Ou devido a algum trauma, uma pessoa pode não se considerar digna de ser amada. Muitas situações podem desencadear essa combinação, afinal, cada história de vida é única.

Saiba mais

Transtornos alimentares: 6 dicas para os pais protegerem os filhos

pais-filhos-transtornos-alimentares

Por vezes, os transtornos alimentares chegam silenciosamente, maquiados como hábitos de uma vida saudável. Mas não é bem assim. E embora o sexo feminino jovem continue sendo o mais afetado, está crescendo o número de rapazes que também sofrem de transtornos alimentares. Separamos 6 dicas para os pais protegerem os filhos:

1)      Fique de olho

Fique de olho no que seu filho ou filha anda seguindo, curtindo ou compartilhando nas redes sociais. Grande quantidade de perfis, grupos ou páginas relacionados a emagrecimento ou pró-Ana/pró-Mia pode ser um forte indício de que seu filho usa a internet como apoio para o transtorno alimentar.

Saiba mais

Comer demais pode ser uma doença

Entenda porque comer demais pode ser uma doença

Imagine uma pessoa sem fome que em menos de uma hora consuma seis pães, uma caixa de bombons e um pote de sorvete. Se você pensa que é gula, acredite, nem sempre é apenas questão de pecado. Comer demais em curto período é característica de uma doença chamada Compulsão Alimentar, que você vai conhecer a seguir.

De acordo com a Associação Americana de Psiquiatria, a compulsão alimentar atinge até 4% da população mundial, o que significa que cerca de 280 milhões de pessoas sofrem com a doença. Uma das consequências da compulsão alimentar é o ganho de peso, pois o corpo não consegue gastar toda a energia acumulada. E não se trata de apenas uma gordinha extra e, sim, obesidade.

Saiba mais

Compulsão alimentar: 9 fatos importantes

9 fatos importantes sobre a compulsão alimentar

Janaína tem o hábito de comer excessivamente altas horas da madrugada. E ela come o que está mais fácil, sem se importar com o sabor, até quando não aguentar mais e sentir-se mal por agir assim. Se identificou com a história? Saiba 9 fatos importantes sobre a compulsão alimentar:

1)      Um exagero em um jantar especial, por exemplo, não significa que uma pessoa sofra de compulsão alimentar. É considerado um transtorno quando ocorre episódios frequentes (2 vezes ou mais durante a semana) por algum tempo (seis meses).

Saiba mais

Como identificar a compulsão alimentar

Como identificar a compulsão alimentar

Devorar uma caixa de bombom ou comer pizza até passar mal. Você já fez isso? Acredite, você não está sozinho. Todos, em algum momento da vida, já exageraram alguma vez na vida.

Consumir exageradamente uma vez ou outra é normal. O problema é que esta compulsão pode ser uma doença, dependendo do caso. “Consideramos como compulsão alimentar quando o consumo exagerado dos alimentos é feito em curto período de tempo, por cerca de duas vezes na semana, ao longo de seis meses”, explica o psicólogo João Benatti, da Clínica Viva.

Saiba mais

Termos de Uso e Política de Privacidade - Grupo Viva | Clínica Terapêutica Viva © - Todos os direitos reservados