Dia Mundial Sem Tabaco

O Dia Mundial sem Tabaco, comemorado anualmente em 31 de maio, foi criado em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como um alerta sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. A Clínica Terapêutica Viva, com o intuito de ajudar as pessoas que sofrem diariamente com o vício do tabaco, criou uma “checklist”, uma lista para ajudar a todos aqueles que pretendem um dia parar com o vício.

Saiba mais

Doença pulmonar causada por cigarro mata 100 por dia

Doença Pulmonar provoca morte de cerca de 100 pessoas diariamente no Brasil

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, a DPCO é uma enfermidade diretamente ligada ao tabagismo que, segundo dados do DataSUS, mata em média 100 pessoas por dia no Brasil. Além de ser extremamente perigosa, ainda não há cura para ela, de acordo com a Associação Brasileira de Portadores de DPCO.

Em São Paulo, estima-se que 1 milhão de pessoas tenham a doença, que, apesar da grande incidência, ainda não é muito conhecida pela população. Outro dado alarmante é que, segundo um estudo, aproximadamente 70% dos pacientes permanecem não diagnosticados.

A doença atinge o sistema respiratório e causa diminuição da capacidade respiratória por conta da obstrução das vias aéreas e perda de função pulmonar. Aproximadamente 11 milhões de pessoas no Brasil têm DPCO, de acordo com o dados do DataSUS.

“Apesar de não conhecermos a cura da DPOC, o tratamento melhora muito os sintomas e a qualidade de vida do paciente”, informa a associação em seu site.

Segundo a entidade, este tratamento deve começar com uma mudança do estilo de vida, principalmente deixando de fumar e passando a fazer uso de medicamentos para aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida do paciente.

(Fonte: portal Yahoo)

Quer saber mais sobre tratamento do tabagismo? Acesse nosso site

Dia sem Tabaco: OMS pede restrições a embalagens de cigarro

Dia Mundial Sem Tabaco

Dia sem tabaco – Esqueça todas aquelas propagandas cinematográficas, cores e marcas sedutoras dos cigarros nos anos 80. Agora pense em uma caixinha sem cores, imagens, sem logos ou rótulos convidativos, apenas informando que ali há cigarros, destacando o poder destrutivo de suas substâncias. Isso pode acontecer, sabia?

O mundo lembra nesta terça-feira (31/05) o Dia Mundial sem Tabaco e, como forma de marcar esta data, a Organização Mundial da Saúde (OMS) defendeu embalagens padronizadas de cigarro e correlatos.

Para o Instituto Nacional do Câncer (Inca), as embalagens de cigarro são um grande instrumento de publicidade utilizado pela indústria, que investe em seu aprimoramento visual, formato e localização estratégica em pontos de venda.

Como trouxemos em post anterior em nosso blog, o cigarro é ainda a maior causa de morte evitável do mundo e por isso o cerco está se fechando ao longo do tempo.

Não bastassem os posicionamentos da OMS e do INCA, tramitam no Congresso Nacional três projetos de lei que possuem basicamente os mesmo objetivos. O PL 103/2014, o PL 1744/2015 e o PLS 769/2015, que vai além e pretende vedar isso de aditivos que confiram sabor e aroma aos cigarros, além de transformar em infração o ato de fumar em veículos quando houver passageiros menores de 18 anos.

Quer parar de fumar e não consegue? Consulte-nos

Cigarro: se pensa em parar, não está só

parar de fumar tabagismo clinica viva

Cigarro: Você sabia que há, segundo a ONU, 1,1 bilhões de fumantes no mundo, o que representa 1/7 da população mundial? Sabia que é a maior causa de mortes evitáveis em todo o planeta? Que além de quem fuma, o cigarro causa problemas ao fumante passivo? Números assustadores, mas a realidade é bem melhor que há algumas décadas no Brasil.

Provavelmente, se você é fumante, é maduro o suficiente para compreender os problemas que o cigarro causa, mas não para por uma série de fatores.

De forma alguma se sinta culpado por isso, afinal recebeu todo o tipo de propaganda na vida (mídia, amigos, família) para adquirir o hábito, depois a dependência. Por outro lado, segundo pesquisas apontam, a maioria absoluta dos fumantes já tentou parar alguma vez na vida.

Por experiência, sabemos o quanto é complicado parar. Na Clínica Viva há diversos exemplos de pessoas que conseguiram se livrar do crack, mas não do cigarro, para se ter uma ideia do poder da nicotina e outras centenas de substâncias que causam dependência contidas no produto.

Mas nem todas as chances de parar viram fumaça, pelo contrário. Se você está tentando, saiba que não está sozinho. No Brasil, o número de fumantes vem caindo proporcionalmente há algumas décadas. Segundo o IBGE, em 1989 34,8% da população fumava! Ou seja, de cada três brasileiros, pelo menos três eram fumantes ativos e os demais aspiravam a nicotina do ar! Mas houve uma queda vertiginosa e, em 2013, apenas 11,3% das pessoas fumavam. A meta do Ministério da Saúde é chegar a 9% até 2022.

Campanhas de conscientização sobre o tabagismo, controle da propaganda de cigarros na grande mídia, restrições na venda e em locais para fumar foram algumas ações estratégicas que contribuíram para esta redução.

E qual o ponto positivo destes dados todos que mostramos? Que além de menos jovens começarem a fumar, mais pessoas estão conseguindo deixar o cigarro.

Na Clínica Terapêutica Viva, que desenvolveu um tratamento específico para o tabagismo, que alia fitoterápicos a psicoterapia, isto é facilmente observado, com o sucesso de pessoas que param de fumar.

Do ponto de vista da saúde pública, só nos resta celebrar dados tão positivos quanto à redução do número de fumantes no Brasil. E, para aqueles que tentam e não conseguem parar, estamos aqui para ajudar!

Mais: confira o vídeo sobre tratamento do tabagismo da Clínica Viva

 

Por que algumas pessoas têm dificuldade em largar o cigarro?

Como largar o cigarro?

Apesar das diversas medidas restritivas, como a proibição da publicidade e do fumo em lugares fechados, e o acesso às informações sobre as consequências do tabagismo, 10,8% da população brasileira fuma, de acordo com dados do Ministério da Saúde. E é muito comum, entre os fumantes, a queixa de que eles não conseguem parar ou que já tentaram e tiveram recaída. Por que algumas pessoas parecem ter mais dificuldade em largar o cigarro do que outras? É o que vamos explicar neste texto.

De acordo com o psicólogo especialista em dependência química Marcelo Parazzi, da Clínica Terapêutica Viva – unidade Campinas (SP), a dependência do cigarro é uma das mais severas em termos de rapidez de instalação e dificuldade de abandono. Um dos fatores é a nicotina, uma substância psicoativa. “Ela [nicotina] cai na corrente sanguínea e rapidamente, por intermédio dos pulmões, órgãos extremamente vascularizados, atinge o cérebro em poucos instantes. Sua ação no sistema nervoso central desencadeia um significativo bem-estar”, explica.

Saiba mais

Entenda como funciona tratamento para quem deseja parar de fumar

Entenda como funciona o tratamento para tagabismo

Ele tem cerca de 8 cm, é caro, faz mal à saúde e, mesmo assim, tem muitos adeptos. E não se trata de moda ou falta de consciência. Mas, como dizem, fácil é falar, difícil é parar. Se você ou alguém que você ama é fumante e deseja parar, saiba que há uma luz no fim do túnel. O tabagismo tem tratamento. Nas próximas linhas você irá entender como funciona o tratamento para quem deseja parar de fumar.

Antes de falar do tratamento, é importante entender o processo de dependência do tabagismo. O cigarro é composto por diversas substâncias tóxicas, mas a nicotina ganhou o papel de protagonista pois ela é a principal responsável pela dependência. Isso ocorre porque ela age no cérebro, para ser mais exato na região em que é produzida a dopamina – componente que atua no prazer e bem-estar. Não é a toa que o cigarro funciona como um alívio para quem sofre de ansiedade ou estresse, por exemplo.

Saiba mais

Termos de Uso e Política de Privacidade - Grupo Viva | Clínica Terapêutica Viva © - Todos os direitos reservados