Consumo de álcool por via anal e vaginal aflige famílias.

O uso indiscriminado de álcool por adolescentes em festas e baladas tem aumentado de forma preocupante em nosso país, levando muitos pais a perder noites de sono na espera de seus entes queridos.

Esse consumo desenfreado leva ainda a outras práticas, como o uso de álcool pelas vias anal e vaginal, quando a bebida pode ser inserida nestes orifícios com a ajuda de absorventes internos, seringas e outros objetos.

 Contudo, especialistas alertam que esta prática é de altíssimo risco.

De acordo com os médicos consultados, as mucosas anal e vaginal têm alto poder de absorção e, por isso, os efeitos vão além dos efeitos de uma ingestão por via oral, podendo inclusive gerar infecções generalizadas.

Segundo a Dra. Zila Van Der Meer Sanchez, pesquisadora do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID), da Unifesp, os adolescentes que chegam aos prontos-socorros alcoolizados usam menos destas práticas no Brasil do que em outros países, apesar de casos terem sido registrados.

Com tal prática se busca novas experiências com o uso de drogas lícitas e também burlar a chamada “Lei Seca”, onde o consumo da bebida alcoólica não é detectado pelo bafômetro.

Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, dirigir sob a influência de álcool ou qualquer outra substância psicoativa que determine dependência pode gerar multa e também a prisão em flagrante, dependendo da quantidade.

Sendo assim, é importante ressaltar que, mesmo sem a detecção pelo bafômetro, o mero estado de embriaguez (causado, muitas vezes, por outras substancias psicoativas) já pode gerar a pena de multa trazida pela lei. Bem como, no caso de suspeita, o usuário poderá se submeter a exames de sangue ou clínico, quando também as penas criminais serão impostas.

Diante deste cenário, é cada vez mais importante e urgente que as famílias, ao se deparar com o uso frequente de álcool e outras substâncias, busque imediatamente o tratamento adequado, a fim de que evitem em seus lares as tragédias com que nos acostumamos a acompanhar quase que diariamente.

 Quem ama nunca desiste!

O que você achou disso? Deixe seu comentário:

Deixe um comentário

Post Navigation

 

Termos de Uso e Política de Privacidade - Grupo Viva | Clínica Terapêutica Viva © - Todos os direitos reservados